Pular para o conteúdo principal

Vidas salvas a distância - Há esperança no mundo!

Atualmente, as chances de controlar os efeitos devastadores do derrame cerebral, ou acidente vascular cerebral, são cada vez maiores. Médicos treinados conseguem influenciar a evolução do derrame e evitar catástrofes neurológicas em um número crescente de pessoas (entrevista com o dr. Rogério Tuma). Como? Através de tratamentos eficazes em reverter o quadro clínico grave e, talvez mais importante, identificando de forma objetiva e precoce, a ocorrência de um derrame.

Infelizmente, nem todos os médicos são treinados e aptos a fazer o diagnóstico preciso nas fases iniciais de um acidente vascular cerebral. Essa deficiência não se limita a profissionais de cidades pequenas, mas se acentua em zonas afastadas ou no interior do país. De qualquer país.

As conseqüências disso, potencialmente desastrosas para os pacientes, motivaram a criação de vários grupos de estudo para solucionar o problema.

Recentemente, um grupo de pesquisa do Departamento de Neurologia da Faculdade de Medicina da Geórgia, nos EUA, liderado por Sam Wang, divulgou os resultados de um estudo muito promissor. A idéia é inteligente, simples e aparentemente muito eficaz.

Como existe uma dificuldade logística óbvia de treinar milhares de médicos em todos os cantos do mundo para a avaliação neurológica de pacientes com suspeita de derrame, o dr. Wang e seus colaboradores inventaram um meio de levar os especialistas para todos esses cantos. Eles Aproveitaram a difusão maciça da internet e criaram o “telederrame”, chamado de programa Reach (do inglês avaliação remota de derrame isquêmico agudo). Através da internet, um neurologista situado em algum centro especializado avalia detalhadamente os pacientes e emite seu diagnóstico e sua suspeita final: derrame ou não.


A comunidade médica ficou um pouco cética em relação à acurácia da avaliação a distância de um paciente. Será que não seria necessário o contato direto com o doente em questão?

Para responder a esta e a outras dúvidas, o dr. Wang realizou um estudo de validação de resultados. Pacientes atendidos em hospitais da zona rural, com história e quadro clínico suspeitos para um acidente vascular cerebral, foram avaliados no consultório ou no pronto-socorro por neurologistas bem treinados e o diagnóstico definitivo de derrame foi confirmado ou não para cada indivíduo. Ao mesmo tempo, outros neurologistas, localizados a centenas de quilômetros de distância, usaram o programa via internet para avaliar os mesmos pacientes e fornecer diagnósticos, além de recomendações terapêuticas para cada caso.

Os resultados, publicados recentemente na revista médica Stroke, não podiam ser melhores. Tanto neurologistas no consultório, em contato direto com o paciente, quanto aqueles a distância, via internet, chegaram aos mesmos diagnósticos. E, baseados nos critérios indicados pelo NIH (instituto nacional de saúde dos EUA), indicaram os melhores procedimentos.

O programa atenderá comunidades e instituições deficitárias em especialistas. Os pesquisadores não têm dúvida de que a iniciativa terá grande impacto sobre a qualidade e a quantidade de vida dos pacientes com derrame.

Como declarou o dr. Wang, “quando os minutos fazem diferença entre a vida e a morte, a chegada mais rápida do especialista pode ser crucial. Nós chegamos ao paciente na velocidade da luz”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Jogo da reciclagem - Como ensinar seus filhos a reciclar

As crianças hoje recebem na escola orientações que podem surpreender os pais. Um dos temas que elas mais gostam e que absorvem com verdadeira paixão é a reciclagem de material descartável como uma forma de preservação do meio ambiente. Em minha família somos alvo de críticas dos nossos filhos quando desperdiçamos algum material e confesso que às vezes tenho medo de deixar caixas de papelão perto deles, pois imediatamente se transformam em matéria prima para confecção de brinquedos e "artes".

Se o seu filho também é um amigo da natureza, vale a pena visitarem juntos alguns sites que ensinam como os materiais são reutilizados. Na internet podemos acompanhar em imagens e texto como é feita a reciclagem de latinhas de alumínio , vidro, papel, além de encontrarmos dados que nos convencem dos benefícios da reciclagem.

Quer mais? No Recicloteca aprendemos sobre a importância da separação dos resíduos e sobre as cooperativas de sucateiros que recebem o material reciclável . E para q…

Quem somos nós?

Já parou para pensar em quão complexo é a nossa sociedade? Perceba que em todo o lugar que você vai existe as famosas panelinhas: quem gosta disso não gosta daquilo e parece que tudo está fadado a ficar cada vez mais segmentado.
Vai dizer que você lê coisas na internet sem ter buscado por elas: seu Facebook está repleto de fan pages que te traduze, os sites que você acessa tem assuntos que te interessam. Você vai sempre saber mais do mesmo. E aí eu te pergunto: Não há perigo de você se tornar uma pessoa superficial? Nós acreditamos que sim.
Foi em uma  conversa no bar entre amigos daquelas que começam na risada e terminam em depressão é que surgiu a ideia de formar um blog. Nos juntamos para escrever sobre assuntos bem aleatórios e achar um público que queira saber sobre qualquer. Sair de nossas bolhas, olhar o que há a nossa volta e com isso se tornar pessoas mais completas.
O Hidrocor é para ser justamente um estojo de canetinhas para crianças: cada cor nova é algo completamente…

Lista de alimentos sem lactose para manter a saúde

A intolerância à lactose pode ser muito mais comum do que você imagina. Há estudos que indicam que no país, cerca de 40% da população tenha algum tipo de intolerância. Às vezes, só acontece durante um estágio na infância, porém, isso pode se alastrar pela vida toda. É claro que há níveis diferentes de intolerância e nem todas as pessoas apresentam a intolerância em todos os alimentos que possuem lactose.

E o que essas pessoas com intolerância sentem? Quais as reações? Elas podem ser muitas e também podem variar de pessoa para pessoa. Quando alguém com intolerância à lactose faz o consumo de algo com leite pode sofrer de reações como a diarreia, dores de estômago graves, gases, entre outros vários incômodos.

Todo mundo deve se cuidar
A verdade é que todos nós sofremos com um pouco de intolerância à lactose. Você quer um exemplo simples que comprova isso? Se você comer algo demais, certamente terá problemas de estômago. Claro que isto pode variar em cada indivíduo, mas algum mal o exces…